Com avanço de 12%, globalização volta a ganhar força na agenda das franquias, mostra estudo da ABF

Número de marcas brasileiras no exterior sobe de 163 para 183 de 2020 para 2021, e presença também aumenta de 106 para 114 países no mesmo período

O movimento de globalização das marcas brasileiras voltou a ganhar força na agenda das redes de franquias em 2021 na comparação com o ano anterior. É o que revela o estudo anual da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Pela pesquisa, o número de marcas nacionais presentes no exterior subiu de 163 para 183 no período (o equivalente a um avanço de 12,27%). Este total envolve todos os formatos de operação: unidades próprias, franqueadas, máster franchising, desenvolvedor de área, exportação e joint ventures.

 

As redes made in Brazil também estão presentes em mais países: o número passou de 106 para 114. Entre os principais motivos para essa expansão das franquias brasileiras além fronteira nacional estão a retomada dos planos internacionais após o arrefecimento da pandemia, a busca por novos mercados, por ampliar o faturamento em moedas mais fortes e diluir riscos de investimento. A ABF também identificou alguns casos de empreendedores brasileiros que foram para o exterior e optaram por levar marcas do país para essas localidades.

 

“A expansão está no DNA das redes de franquias e a internacionalização é um próximo passo natural, ainda mais para aquelas com um certo grau de maturidade e capacidade de gestão e investimento. O primeiro ano de pandemia foi de uma cautela maior por parte das redes e de adaptação ao novo cenário. Já no segundo ano da pandemia, com os sinais de reaquecimento das atividades econômicas em diversos países, as empresas franqueadoras com foco ou atuação internacional retomaram seus planos de expansão”, afirma André Friedheim, presidente da ABF.

 

Os Estados Unidos - o maior mercado mundial - continuam liderando a lista dos Top 10 países com maior presença de marcas brasileiras, registrando um avanço de 61 para 69 marcas no período pesquisado. Portugal se manteve em segundo lugar, passando de 41 para 51 redes, e o Paraguai também continua na terceira posição, subindo de 36 para 44 franquias no período.

 

Para Natan Baril, diretor de internacionalização da ABF, “as redes brasileiras que já tinham projetos de expansão para outros países de fato começaram a retomar seus planos estratégicos nesse sentido mesmo durante a pandemia. Mercados atraentes pela dimensão econômica, como os Estados Unidos; ou pela similaridade da língua, por ser uma porta de entrada para a Europa, entre outros fatores, como Portugal; ou pela proximidade e regras tributárias mais simples, como o Paraguai, que serve inclusive como uma espécie de laboratório para aquelas marcas que desejam iniciar sua internacionalização, continuam se destacando, mas há um vasto mercado internacional a ser explorado pelas marcas brasileiras”.

 

Outro fator que contribuiu para ampliar a expansão das franquias brasileiras no exterior foi o trabalho feito por meio do Programa Franchising Brasil. Desenvolvido pela ABF em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Programa Franchising Brasil concentra uma série de atividades que viabilizam essa internacionalização.

 

Neste período pandêmico, as missões para o exterior que envolviam a participação em feiras, rodadas de negócios e visitas técnicas presenciais foram substituídas por encontros online no formato “think tank”, em que os participantes trocam conhecimento, fazem networking, ampliam seus horizontes e compartilham as melhores práticas. Somente no ano passado, foram realizadas 16 mesas temáticas virtuais para analisar a retomada dos negócios durante e pós-pandemia. As rodadas de negócios foram revisitadas e substituídas por roadshows virtuais, realizados quatro vezes em 2021: América Latina (reunindo os mercados Andino e Mexicano), Mercosul (Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai), Guatemala e Portugal. Os roadshows são feitos em parceria com as associações de franquias locais, consultores e também com a participação de franqueadores brasileiros já atuantes naqueles mercados. Redes como Arranjos Express (serviços e outros negócios), CLEANNEW (limpeza e conservação), Maple Bear (serviços educacionais) e Sobrancelhas Design (saúde, beleza e bem-estar) participaram desses eventos e avançaram em seu processo de internacionalização.

 

Em sua terceira edição, o Certificado de Franquia Internacional, que reconhece as redes associadas à ABF com maior presença no exterior, também é uma iniciativa da entidade para estimular a internacionalização. Corroborando com a manutenção dos planos de expansão no estrangeiro das marcas nacionais mesmo durante a pandemia, houve um aumento do número total de unidades das redes chanceladas, passando de 1.123 em 2020, para 1.135 em 2021. As redes Acquazero (serviços automotivos), Açaí Concept (alimentação), Anjos Colchões (casa e construção), Calçados Bibi (moda), Casa do Construtor (casa e construção), Emagracentro e Espaçolaser (saúde, beleza e bem-estar), Hope Lingerie (moda), iGUi (casa e construção), Maple Bear (serviços educacionais) e Oakberry Açaí Bowls (alimentação) tiveram um saldo positivo na abertura de unidades no mercado internacional.

 

Quanto aos segmentos, moda foi o que mais expandiu internacionalmente entre 2020 e 2021, subindo de 36 para 44 marcas, e permanece liderando a presença brasileira no exterior. Também na segunda posição vem saúde, beleza e bem-estar, que passou de 34 para 36 operações, e alimentação se manteve estável em terceiro lugar, com 27 unidades em outros países.

 

O levantamento da ABF apontou que no último ano houve tanto o movimento de redes brasileiras que intensificaram ainda mais sua presença no exterior - como é o caso de Casa Bauducco (alimentação) e Ornare (moda) -, quanto daquelas que estrearam internacionalmente, como as marcas Fichips Food (alimentação), Instituto Inspirar (serviços educacionais) e Mais Top Estética (saúde, beleza e bem-estar). Houve ainda, de acordo com o estudo, um destaque das marcas de alimentação do ramo de açaí - é o caso de Açaí Concept, Fast Açaí, Kingdom Açaí e Oakberry Açaí Bowls) - e a retomada das exportações por parte das franquias de moda.

 

Já no movimento inverso, o número de redes estrangeiras no Brasil ficou estável, passando de 205 para 206 marcas. As norte-americanas permanecem no topo da lista, com 84 marcas, assim como Portugal vem em segundo lugar (20) e a Espanha (16) em terceiro.

 

“Sabemos dos desafios que as redes enfrentam para se internacionalizar, mas o franchising brasileiro, por sua maturidade e pelo crescente profissionalismo das redes, exemplos das melhores práticas do setor, tem superado esses desafios. A ABF, junto com a Apex-Brasil, por meio do Programa Franchising Brasil, continuará a apoiar todas as marcas associadas interessadas em expandir internacionalmente, levando cada vez o DNA do franchising brasileiro pelo mundo”, finaliza o presidente da ABF.

 

CONHEÇA A FRANQUIA IDEAL PARA VOCÊ

 

Encontre a melhor franquia para você